CD Todo Céu Pra Voar

O disco começa com a pergunta “A inspiração vem de onde?”, da música Transpiração, de Alzira Espíndola e Itamar Assumpção. A de Luhli e Bethi vem das montanhas de Lumiar, onde nasceram todas as parcerias inéditas do CD. Nas 16 faixas seguintes, surgem as pistas - A Vida é um Rio, Uirapuru e Rouxinol, No Vôo do Gavião, Sou Vento e a imperativa Não Mate a Mata, criação coletiva para o projeto “Árvore Nativa”, composta em oficina com associações de moradores de Petrópolis, não deixam dúvida de que o trabalho é completamente inspirado nos elementos da natureza.

Gravado e mixado por Ricardo Rezende no estúdio Nave, Todo Céu pra Voar capta o jorro de emoções das cordas e vozes de Bethi e Luhli, com o acréscimo das percussões de Flávia Thorga.

Cada música ganhou uma mistura percussiva especial, timbres combinados para criar uma sonoridade única, misturando djembê africano, derbak árabe, zabumba e pandeiro brasileiros, bongô e caixa, chocalhos, pratos e efeitos sonoros aos instrumentos criados por Luhli na sua oficina “Tambores de Luz”.

O álbum começa com uma pergunta e termina numa exclamação em Nascer, com a surpresa da participação especial de Ricardo Rezende na guitarra e Paulo Brandão no contrabaixo.           

Todo Céu pra Voar é o fruto maduro de uma pesquisa sonora baseada na sensibilidade de duas mulheres que buscam a essência feminina no ritmo, na harmonia, na poesia, na natureza e na humanidade.